27 de Março 23:58
Funcionários do BB programam paralisações em todo país

Quarta 28 é Dia Nacional de Luta pela Jornada de 6h no BB. Em Brasília, as paralisações serão nos edifícios Sede IV, Sede VI (SIA) e CSO (SIA). O Dia Nacional de Luta cobrará propostas efetivas do banco para as questões que estão na mesa de negociação permanente, como valorização dos pisos e interstícios.

Rodrigo Couto
Do Seeb Brasília

Bancários do Banco do Brasil de todo o país continuam firmes e fortes na luta pelo cumprimento da jornada legal de 6 horas para todos sem redução de salário. Em Brasília, com o apoio do Sindicato, os trabalhadores realizarão nesta quarta-feira (28) mais um Dia Nacional de Luta para exigir do banco uma solução imediata para a ilegalidade. Após inúmeros protestos e negociações com o movimento sindical, a direção da empresa havia se comprometido a resolver o problema até junho de 2010, o que não ocorreu até hoje. Nada foi apresentado aos bancários.

O Dia Nacional de Luta cobrará propostas efetivas do banco para as questões que estão na mesa de negociação permanente, como valorização dos pisos e interstícios. Os bancários também exigem avanços na carreira de mérito: melhoria da pontuação, retroatividade da contagem correspondendo a toda vida laboral na empresa, pontuação para caixas e escriturários. Para os egressos de bancos incorporados, reivindicam contagem de ponto referente às suas atividades nos bancos de origem.

Em Brasília, as paralisações ocorrerão nas seguintes dependências:

- Edifício Sede IV, das 10h às 12h;
- Prédio da Brasil Telecom do SIA, das 14h às 16h;
- Centro de Suporte Operacional (CSO) do SIA, das 14h às 16h.

Vista preto

Nesta quarta, bancárias e bancários devem vestir preto para protestar contra a falta de compromisso e inércia da direção do BB em implantar a jornada de 6 horas e resolver as questões da mesa permanente.

"A adesão dos funcionários na mobilização do dia 7 de março foi muito boa e é importante que todas as bancárias e bancários do BB voltem a participar ativamente de mais um Dia Nacional de Luta pela jornada de 6 horas nesta quarta 28", afirma o coordenador da Comissão de Empresa dos Funcionários do BB, Eduardo Araújo. “O banco tem que sair da ilegalidade. É inadmissível que uma empresa com mais de dois séculos de história desgaste sua imagem com um problema tão grave e que afeta milhares de trabalhadores”, completa Araújo, que também é bancário do BB.

Uma conquista histórica

Conquista histórica dos bancários, o cumprimento da jornada de seis horas vem sendo sistematicamente ignorado pela direção do BB, que insiste em descumprir a legislação vigente.

Ao insistir no descumprimento da legislação trabalhista, o banco vem sofrendo milhares de derrotas na Justiça. O mais impressionante é que o crescimento vertiginoso do passivo trabalhista parece não incomodar nem um pouco o Conselho Diretor do BB, que assiste de camarote à avalanche de processos judiciais cobrando a 7ª a 8ª horas. “O pior é que a direção do banco prefere gastar dinheiro nos tribunais com custas e recursos”, denuncia O secretário de Assuntos Jurídicos do Sindicato, Rafael Zanon, funcionário do BB.

“Você, que é bancário do BB, venha reivindicar o cumprimento da jornada legal de 6 horas sem redução de salário nesta quarta 28, Dia Nacional de Luta. O êxito dos protestos depende da sua participação. Vista preto e mostre para o banco que ele precisa cumprir a lei de uma vez por todas. Chega de ilegalidade. Todos aos protestos”, convida o presidente do Sindicato, Rodrigo Britto. 

deBrasília.com.br - todos direitos reservados ©
Para anunciar: comercial@debrasilia.com.br    Tel:(61) 8150-0256
Para envio de material/releases: contato@debrasilia.com.br
Desenvolvido por MadMídia