19 de Março 17:48
Vigilantes do Rio decidem continuar em greve

Os vigilantes reivindicam um reajuste salarial de 10%, reposição inflacionária do período, 30% do risco de vida, aumento do auxílio alimentação de R$ 8,50 para R$ 16,50 e assistência médica. O piso salarial da categoria é R$ 864,00.

Rio de Janeiro – Iniciada há uma semana, a greve dos vigilantes em todo o estado do Rio de Janeiro, continua pelo menos até amanhã (20), quando ocorre a primeira audiência de conciliação no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), segundo o vice-presidente do Sindicato dos Vigilantes do Município do Rio de Janeiro (Sindvig) e coordenador da greve, Antônio Carlos de Oliveira. A decisão foi tomada na manhã de hoje (19), em assembleia com integrantes do sindicato.

‘Nós decidimos manter a greve porque nós aguardávamos para esse domingo [18] que o sindicato dos empresários oferecesse uma proposta mais aceitável para a categoria. Como essa proposta não aconteceu, e permanece a proposta apresentada na quarta-feira, que é a de reduzir o risco de vida da categoria, nós decidimos manter a greve até que o sindicato patronal resolva fazer uma proposta convincente para a categoria”, disse.

Ainda de acordo com Oliveira, o Sindicato das Empresas de Segurança Privada (Sindesp), desde o anúncio da greve, não tem demonstrado nenhuma preocupação em acabar com a paralisação. Segundo ele, os representantes do sindicato faltaram a duas mesas de negociação do Ministério do Trabalho, que ocorreram nos dias 16 e 29 de fevereiro e a uma terceira reunião, marcada para ontem (18), que foi cancelada devido à desistência do sindicato.

Os vigilantes reivindicam um reajuste salarial de 10%, reposição inflacionária do período, 30% do risco de vida, aumento do auxílio alimentação de R$ 8,50 para R$ 16,50 e assistência médica. O piso salarial da categoria é R$ 864,00.

Fonte - Agência Brasil

deBrasília.com.br - todos direitos reservados ©
Para anunciar: comercial@debrasilia.com.br    Tel:(61) 8150-0256
Para envio de material/releases: contato@debrasilia.com.br
Desenvolvido por MadMídia