02 de Julho 21:22
Vaquejadas no Nordeste impulsionam o mercado de cavalos

Quarto de milha é a principal raça comercializada, 15% do plantel está no NE

  • Ft.: Anderson C. Fotografias A cada fim de semana tem até 10 provas, e nunca os vencedores saem sem levar ao menos R$150 mil
  • Foram 273 leilões de quarto de milha em 2015, dentre eles 15 considerados grandes leilões com arrecadação média de R$ 2 milhões. E ao todo, 71 mil animais da raça, 15% do plantel brasileiro está no nordeste, e o motivo são as vaquejadas, que junto com o futebol de salão são as duas únicas modalidades esportivas genuinamente brasileiras. A raça é a preferida dos adeptos do esporte

    As vaquejadas oferecem prêmios milionários, são R$ 5 milhões previstos para 2016. A cada fim de semana tem até 10 provas, e nunca os vencedores saem sem levar ao menos R$150 mil. A possibilidade de ganhar essa “bolada” em um único fim de semana anima competidores e também investidores, já que a genética do animal para este tipo de disputa é extremamente importante. Essa linhagem do quarto de milha, que mistura a vocação para o trabalho e também para velocidade faz o diferencial.

    O histórico do Silver Wild SLN, conhecido como Roxão é típica, ele foi um divisor de águas da modalidade ao ser o primeiro cavalo não castrado a competir e reproduzir. Considerado o melhor garanhão de vaquejadas ele rendeu 700 filhos, e essas coberturas representam mais de R$ 20mi ao dono, o empresário Jonatas Dantas. Ele já promoveu muito eventos, mas agora está concentrado na criação. “Estou focado neste produto multiplex, que continua valorizado e procurado, para velocidade, tambor e vaquejadas” – diz ele, que tem outros três garanhões americanos para aprimoramento da genética, além de um qualificado time de éguas para trabalho e velocidade, são animais importantes tanto dentro do contexto brasileiro como internacional.

    No nordeste no ano passado foram realizados 27 leilões, com uma receita de R$ 53 mi, e o maior deles, é o Ana Dantas Rach, edição vaquejada, quando foram faturados quase R$ 5 milhões no mês de novembro em Campina Grande, na Paraíba. Apenas um lote foi arrematado por R$ 450 mil.

    Aníbal Ferreira, principal leiloeiro de vaquejadas no nordeste, e com experiência em leilões de todas as raças, fica surpreso com os resultados. “O quarto de milha é uma raça de abrangência nacional, na última década o investimento em matrizes e reprodutores é negócio certo, planejado, para quem tem foco em animais que são verdadeiros atletas competidores, 70% do mercado de quarto-de-milha está nos esportes e provas, e quem vive o negócio, sabe como ele pode ser rentável” – diz ele. Anibal já vendeu um único animal por R$ 900 mil. “Todo resultado de genética e consequentemente financeiro tem história que envolve comprometimento, planejamento e foco profissional, isso em qualquer criação, não tem milagre, mas trabalho” – conclui.

    deBrasília.com.br - todos direitos reservados ©
    Para anunciar: comercial@debrasilia.com.br    Tel:(61) 8150-0256
    Para envio de material/releases: contato@debrasilia.com.br
    Desenvolvido por MadMídia