21 de Março 09:15
Aedes aegypti também pode transmitir doenças para cães e gatos

Conhecido pela transmissão de doenças aos humanos, a exemplo da dengue, zika e chikungunya, o mosquito também é vilão para os pets, contaminando-os com a dirofilariose

Em meio ao surto causado pelas doenças dengue, zika e chikungunya, que atingem inúmeras regiões brasileiras, outra doença que pode ser atribuída ao mosquito Aedes aegypti passa a ser conhecida: a dirofilariose. Transmitida a cães e gatos por meio da picada de mosquitos infectados, entre eles o Aedes aegypti, a dirofilariose é o nome científico de uma doença séria causada pela larva do verme do coração e que pode ser fatal.

Os primeiros sinais de que o animal foi picado por um mosquito infectado podem demorar meses. “A transmissão é cíclica. Os mosquitos fêmeas picam um animal infectado pelo parasita, ingerem as microfilárias, que são as suas primeiras formas larvares, ao mesmo tempo em que ingere o sangue do pet. Após uns 15 dias, essa larva passa a ter um poder infectante e quando esse mosquito picar um animal sadio, as mesmas migram para seu corpo, sendo que estas seguem até a artéria pulmonar e o coração do pet, onde irão se desenvolver até o estado adulto. Nesse período, de cerca de seis meses, os parasitas podem alcançar até 25 cm de comprimento”, afirma o Dr. Jonimar Paiva, Professor de Clínica Médica de Animais de Companhia da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro. Em consequência das lesões, os animais apresentam sinais clínicos com o passar dos meses. A gravidade dos sintomas da dirofilariose varia de acordo com o número de vermes presentes no coração, uma vez que o parasita pode obstruir os vasos sanguíneos e causar insuficiência cardíaca. Inicialmente, o animal infectado pela doença pode apresentar falta de disposição para exercícios e brincadeiras, além de tosse, emagrecimento e, em casos graves, dispneia (falta de ar), efusão abdominal (barriga d’água), desmaios e hemorragias espontâneas, levando o animal à óbito.

O diagnóstico da doença em cães é realizado após uma consulta com um médico veterinário. “Além da análise clínica, o profissional deve solicitar exames laboratoriais específicos para diagnóstico da doença, a exemplo da coleta de sangue, para pesquisa das microfilárias (as larvas) e exames sorológicos para verificar a presença de antígenos do verme adulto. Exames radiológicos de tórax, eletrocardiograma e ecocardiograma, bem como, análises da função renal e hepática, auxiliam ao clínico a compreender o grau de comprometimento orgânico do animal em função da doença”, destaca Jonimar Paiva. O tratamento da doença é essencial para que não seja fatal ao animal, mas a droga recomendada pela Sociedade Americana do Verme do Coração (American Heartworm Society) para destruir os vermes adultos, não está disponível no mercado brasileiro.

Desta forma, a prevenção ainda é a melhor opção para evitar a doença. Os cuidados com o animal precisam ser colocados em prática por toda a sua vida, por isso, é importante que o pet receba mensalmente a aplicação de Advocate®, da Saúde Animal da Bayer. Disponível nas versões Cães e Gatos, o produto previne contra o verme do coração, pois interrompe o ciclo de vida deste parasita. Advocate® é um produto multiproteção que também atua contra pulgas, os principais vermes intestinais e ácaros de três tipos de sarnas.

Unidos contra o Aedes aegypti

Em tempos em que o tema dengue, zika e chikungunya estão em evidência por seu potencial transmissor aos humanos, alguns cuidados que podemos ter com o ambiente impactam positivamente também no controle da dirofilariose, uma vez que o mosquito Aedes aegypti pode ser um transmissor comum a ambos, homens e animais. Veja abaixo como você pode contribuir para eliminar focos desse mosquito, protegendo assim os animais e toda a família:
• Retire a água parada no quintal e nas ruas;
• Limpe folhas e a sujeira de calhas, pois isso dificulta o escoamento da água;
• Coloque areia nos pratos de vasos de planta e monitore o volume de água;
• Mantenha a lata de lixo e os ralos devidamente tampados;
• Cubra caixa d'água, piscinas e aquários;
• Guarde baldes e garrafas vazias virados para baixo;
• Lave e troque diariamente a água de bebedouros de cães, gatos e passarinhos;
• Verifique se há água acumulada nas bandejas dos aparelhos de ar condicionado.

Sobre a Saúde Animal da Bayer

Proteger os animais e beneficiar as pessoas. É com esta missão que a Bayer pesquisa e desenvolve desde 1919 produtos farmacêuticos e de higiene para uso veterinário tanto para animais de companhia, quanto para animais de produção. Atualmente, aproximadamente 100 diferentes produtos são comercializados ao redor do mundo. No Brasil, a área de Saúde Animal atua em duas unidades de negócios: Animais de Companhia (cães e gatos) e Animais de Produção (Aves; Suínos e Aquacultura e Bovinos).
No segmento de Animais de Companhia, a Bayer oferece soluções eficazes e práticas para a saúde e bem-estar dos pets. As combinações inteligentes da Saúde Animal permitem que os consumidores adquiram produtos que proporcionam um tratamento veterinário amplo contra parasitas, infecções e doenças dermatológicas, e com isso, previnem doenças e protegem a saúde dos pets.

deBrasília.com.br - todos direitos reservados ©
Para anunciar: comercial@debrasilia.com.br    Tel:(61) 8150-0256
Para envio de material/releases: contato@debrasilia.com.br
Desenvolvido por MadMídia