23 de Fevereiro 08:24
Em assembleias em todo país, aeroviários e aeronautas aprovam acordo

Correspondente ao INPC, o pagamento do reajuste vai incidir sobre os salários de novembro de 2015, mas não será retroativo à esta data base (1º de dezembro)

Da CUT-Brasília

O impasse entre os trabalhadores da aviação civil e os patrões finalmente chegou ao fim. Em assembleias itinerantes que aconteceram em todo país nos últimos dias 19, 20 e 21, aeronautas e aeroviários aprovaram a proposta de atualização da Convenção Coletiva de Trabalho – CCT, apresentada pelo Tribunal Superior do Trabalho -TST, que prevê reajuste salarial de 11% divididos em duas vezes. As categorias receberão 5,5% ainda neste mês e 5,5% em maio.

Correspondente ao INPC (Índice Nacional de Preço do Consumidor), o pagamento do reajuste vai incidir sobre os salários de novembro de 2015, mas não será retroativo à esta data base (1º de dezembro). Profissionais com salários acima de R$ 10 mil receberão abono de R$ 550 nas folhas de fevereiro e maio, não retroativo à data-base. Para tentar compensar, as empresas oferecem um abono indenizatório correspondente a 10% do salário base de 2015, estabelecendo um valor mínimo de R$ 300. Já os vales alimentação e refeição, seguro de vida e diárias nacionais terão reajuste de 11% retroativos à data base. No caso do vale alimentação, o teto de R$ 4 mil será reajustado nos mesmos moldes dos salários, ou seja, em duas parcelas de 5,5%.

“Saímos do reajuste zero para um pequeno avanço. Essa proposta do TST fica um pouco aquém, mas com as cláusulas compensatórias e o abono se mostra mais favorável aos trabalhadores. Se nós fossemos para uma ação de dissídio coletivo, talvez nos prejudicasse mais”, avalia o presidente da Fentac/CUT, Sergio Dias.

deBrasília.com.br - todos direitos reservados ©
Para anunciar: comercial@debrasilia.com.br    Tel:(61) 8150-0256
Para envio de material/releases: contato@debrasilia.com.br
Desenvolvido por MadMídia