08 de Abril 06:36
E se o Facebook acabar?

As empresas precisam entender que o Facebook é uma ferramenta e não a única. O importante é ter uma estratégia que considere as mídias sociais como um todo e não apenas um canal

Depois de algum tempo patinando nas mídias sociais, a maior parte das empresas finalmente compreendeu a importância de estar presente no Facebook, mas muitas delas penderam para o extremo oposto e passaram a centralizar suas estratégias de comunicação nesse canal. “As marcas já compreenderam que ainda que não estejam nas redes sociais, seus usuários estão lá. Por isso, passaram a atuar no Facebook; mas muitas delas estão investindo todas as suas forças nessa ferramenta. Há algumas empresas que usam a rede como seu único meio digital de contato e portfólio, substituindo até mesmo seu site corporativo”, comenta José Matias, diretor da Redsuns, agência de performance online.

Com inúmeras mudanças, entretanto, as empresas estão constantemente perdendo o alcance de suas fanpages e precisando trocar as estratégias para manter o contato com o público. “As atualizações feitas pelo Facebook ocorrem sem períodos definidos e muitas vezes sequer são divulgadas, sendo percebidas posteriormente pela comunidade de anunciantes e produtores de conteúdo. Um exemplo é a perda de alcance orgânico que, segundo pesquisas, caiu para uma média de 6% e até 2% para as páginas com mais de 500 mil fãs”, comenta Matias.

É claro que ainda existem maneiras de se manter assertivo no Facebook. Além de conteúdos com títulos mais chamativos e imagens com maior apelo visual, anúncios, promoção de página e posts impulsionados também contribuem para alcançar o público. “Com o FacebookAds é possível atingir um número maior de usuários, tanto na sua base de fãs como fora dela. O melhor resultado dependerá mais da qualidade do conteúdo, segmentação e otimização constante dos anúncios e publicações na página, do que da forma escolhida para promover esse conteúdo.”

Essas ferramentas podem ser usadas de acordo com a necessidade do cliente, seja para aumentar as visitas no site ou para conseguir mais fãs para a página do Facebook, se esse de fato for o resultado esperado para aquela ação. “É importante sempre ter os objetivos bem definidos, para que as ações e investimentos feitos possam ser mensurados em relação ao retorno que geraram para a marca. Empresas menores em geral se preocupam muito com o número de likes, o que pode ser importante num primeiro momento para que atinjam um número maior de usuários, mas depois da base de fãs estruturada é importante avaliar o que será feito para se relacionar e comunicar com estes usuários”, comenta.

José Matias ressalta que apesar de válidas e com bons resultados, todas essas estratégias precisam fazer parte de um planejamento maior de comunicação digital. “As empresas precisam entender que o Facebook é uma ferramenta e não a única. O importante é ter uma estratégia que considere as mídias sociais como um todo e não apenas um canal. Se o Facebook é importante hoje pelo número de usuários, conteúdos, etc., é importante lembrar que já tivemos outras redes similares – como o Orkut – e poderemos ter muitas outras futuramente.”

Segundo o especialista, o Facebook ainda merece investimento, pois tem e por algum tempo deve manter sua relevância entre o público. “Mas além de se preocupar em ter um número determinado de likes, é importante usar a ferramenta para criar relacionamentos, que possam ser mantidos em outros canais também, afinal o Facebook pode acabar um dia, mas a sua marca deve perdurar.”

Sobre a Redsuns

A Redsuns é uma agência de comunicação digital com foco em performance on-line. Especializada em criação de sites, gerenciamento de mídias sociais e gestão de campanhas com links patrocinados, a empresa oferece soluções digitais personalizadas para atingir os resultados desejados para cada cliente.

deBrasília.com.br - todos direitos reservados ©
Para anunciar: comercial@debrasilia.com.br    Tel:(61) 8150-0256
Para envio de material/releases: contato@debrasilia.com.br
Desenvolvido por MadMídia