13 de Março 11:03
SLU apresenta balanço da terceira semana de coleta seletiva

A quantidade de lixo reciclável recolhido continua crescendo e a adesão da população também

  • Pedro Ventura / Arquivo
  • O balanço das três primeiras semanas da coleta seletiva, realizado pelo Serviço de Limpeza Urbana (SLU) e apresentado nesta quinta-feira (13), apontou que entre os dias 17 e 22 de fevereiro foi recolhido em todo o DF cerca de 5,1% de lixo seco. Na segunda semana (24 a 28 de fevereiro) esse número chegou a 6,4% e agora, na última semana avaliada (3 a 8 de março), 6,8% dos resíduos sólidos recolhidos foram reaproveitados para reciclagem.
     

    Em 20 dias de coleta seletiva em todo o DF, inclusive áreas rurais, foram produzidas mais de 2,8 mil toneladas de lixo seco. "Estamos em fase de adaptação, tanto da nossa equipe de coletores como da sociedade, e consideramos essa avaliação muito positiva", afirmou o diretor-geral do SLU, Gastão Ramos.
     

    Para Ramos, a maioria da população está engajada em separar o material reciclável. "Agora que os moradores de cada região administrativa começaram a assimilar o dia da coleta seletiva e a observarem que um caminhão diferente está circulando só para esse fim, o que passa credibilidade", destacou.
     

    Sobre as reclamações que as empresas estão misturando resíduo orgânico e seco para receberem mais por tonelada recolhida, o SLU esclarece que ainda nenhuma fatura foi paga para as empresas coletoras de lixo seco.
     

    As notas apresentadas pelas mesmas estão sendo analisadas e confrontadas com os relatórios que o SLU recebeu das cooperativas cadastradas, que tratam sobre a qualidade do material, fruto da coleta seletiva. O resultado dessa análise propiciará identificar os resíduos orgânicos coletados indevidamente. Ou seja, nenhuma empresa vai receber a mais por ter recolhido lixo misturado.
     

    ALERTA- Das 770 rotas, apenas 8% (cerca de 60) precisaram sofrer alterações. Alguns atrasos nos horários estipulados também foram observados e o SLU colocou um fiscal por caminhão para verificar se o horário está sendo cumprido e se apenas o lixo seco está sendo recolhido.
     

    Caso o fiscal observe algum problema na coleta, a empresa será notificada. Além disso, a autarquia está analisando a instalação de um sinal sonoro em todos os caminhões, para que a população seja avisada que naquela hora o lixo seco está sendo recolhido.
     

    "Essa é uma adaptação necessária, pois cidades como Goiânia e Curitiba adotaram esse sistema e obtiveram sucesso. Acreditamos que com esse sinal sonoro as pessoas ficarão mais atentas aos horários da coleta seletiva", disse Ramos.

     

    Fonte: Agência Brasília

    deBrasília.com.br - todos direitos reservados ©
    Para anunciar: comercial@debrasilia.com.br    Tel:(61) 8150-0256
    Para envio de material/releases: contato@debrasilia.com.br
    Desenvolvido por MadMídia