30 de Setembro 10:14
Associação francesa lança campanha contra prostituição durante Copa no Brasil

Uma associação de luta contra a prostituição infantil, Ecpat France, acaba de lançar uma campanha de prevenção antes da Copa do Mundo no Brasil

  • Facebook Ecpat Membros da associação Ecpat France junto com representantes brasileiros e franceses na defesa da criança e na luta contra a prostituição.
  • Uma associação de luta contra a prostituição infantil, Ecpat France, acaba de lançar uma campanha de prevenção antes da Copa do Mundo no Brasil, com foco nos torcedores. Mais de 600 mil turistas são aguardados para o evento, o que aumenta os riscos da exploração sexual de crianças e adolescentes.

    A Copa do Mundo de futebol só começa daqui a nove meses, mas as associações que lutam contra a prostituição infantil já estão se mobilizando.

    Para Philippe Galland, diretor-executivo da Ecpat França, “o Brasil é um país que enfrenta há muito tempo o problema da prostituição infantil. De acordo com a Unicef, entre 300 e 500 mil crianças seriam exploradas sexualmente no país, principalmente nas regiões Nordeste e Sudeste.”

    Devido ao fluxo intenso de turistas, a Copa do mundo resulta em um aumento da prostituição infantil. "Nós não tentamos necessariamente culpabilizar os torcedores, mas sim explicar a eles que algumas situações podem aumentar este risco”, diz Galland.

    Monitoramento

    Como a França adotou uma lei segundo a qual um francês que comete o crime de abuso de menores no exterior pode ser preso e repatriado, “o que acontecer no Brasil não ficará no Brasil”, confirma Galland.

    O turista francês receberá vídeos e folhetos explicativos durante toda a sua viagem. "Do aeroporto na França até o hotel no Brasil, o turista terá informações sobre o assunto, com dicas de lugares turísticos, bares ou táxis”, afirma ele.

    Outro dispositivo será montado pela polícia, que vai coletar na Internet e nas redes sociais informações sobre os turistas que possam estar abusando de crianças.

    A sociedade civil também será mobilizada, como foi o caso na Copa da África do Sul, onde "escolas permaneciam abertas para evitar que as crianças e jovens ficassem expostas nas ruas", disse Galland.

    Por enquanto, a FIFA e a Federação Francesa de Futebol ainda não apoiaram esta campanha de prevenção.

    Fonte: RFI

    deBrasília.com.br - todos direitos reservados ©
    Para anunciar: comercial@debrasilia.com.br    Tel:(61) 8150-0256
    Para envio de material/releases: contato@debrasilia.com.br
    Desenvolvido por MadMídia